RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011

ENCHENTES

O ano de 2011 começou de maneira trágica para a região serrana do Rio de Janeiro, pegando toda a população e o Poder Público de surpresa. Entretanto, passado o susto e a perplexidade iniciais, a situação calamitosa nos obrigou a arregaçar as mangas e botar, literalmente, o pé na lama.

 

Durante todo o primeiro semestre, mantivemos todos informados de nossas ações, de nossas dificuldades e de nossas alegrias pelas vitórias obtidas.

Foram de fundamental importância as doações financeiras feitas pela WSPA-Sociedade Mundial de Proteção Animal e por tantos outros parceiros, muitos anônimos, que nos enviaram recursos para levarmos adiante nossa proposta de ajudar.

Também fazemos questão de destacar a ação de diversos veterinários que estiveram conosco em muitos momentos, fosse cuidando de cães, de gatos, de cavalos e até de pássaros. Sem a presença desses profissionais, nada teria sido feito. Também frisamos a enorme importância da presença dos voluntários que se aventuraram conosco pelos cenários de destruição do Vale do Cuiabá. Sem eles nossa participação não teria acontecido.

Nossa linha de trabalho foi a de atuar dentro do  Vale do Cuiabá, levando medicamentos, vacinas, higiene e alimentação para os animais conduzidos para os abrigos, juntamente com seus donos e responsáveis. Somente recolhemos aqueles que apresentaram um quadro clínico preocupante, que demandasse um atendimento em clínica veterinária. Passaram por nossas mãos muitos animais, sendo que desses, 14 receberam tratamentos especiais, incluindo cirurgias complexas (a retirada dos condutos auditivos, por exemplo), além das castrações (cirurgias mais simples).

Distribuímos em torno de 1 tonelada de ração, entre cães, gatos e cavalos, fruto da doação de muitos amigos.

Hoje, temos conosco, dois heróis que resistiram à força das águas: o Negão, cão idoso que foi adotado por nós e o Herói, cavalo que ficou com seqüelas da tragédia e que está vivendo em um sítio de amigos, ainda sob nossa responsabilidade.

 

REDUÇÃO DE RISCO PARA ANIMAIS EM SITUAÇÕES DE DESASTRES

Em Agosto/2011, a AnimaVida participou do Curso Introdutório de Redução de Risco para Animais em Situações de Desastres, promovido pela WSPA. Estendemos a participação para a prefeitura de Petrópolis que indicou dois funcionários que atuaram nas ações emergenciais do início do ano. Desde então, estamos mantendo contatos freqüentes com os órgãos municipais competentes com o objetivo de que sejam estabelecidas estratégias de ajuda para os animais que estejam em situação de risco devido a desastres naturais.

 

PROJETO CHARRETEIRO SANGUE BOM

Mesmo com a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta pela Prefeitura de Petrópolis, a tarefa de fazer cumprir a legislação reguladora das charretes ainda é bastante árdua. Tivemos no decorrer de 2011 vários encontros com a Defensoria Pública e foram muitos os relatórios enviados a eles narrando as irregularidades que encontrávamos. Aos poucos, os órgãos municipais estão conseguindo cumprir com as obrigações determinadas no TAC e nós continuamos atentos.

Fora isso, continuamos fazendo as avaliações médicas periódicas nos cavalos das charretes, sendo que os charreteiros é que estão responsáveis pelo pagamento dos honorários do veterinário, pelas vacinas e vermífugos. Esse foi um grande avanço obtido.

Quanto à associação criada pelos charreteiros vem caminhando com bastante dificuldade pela total falta de consciência de trabalho grupal desses profissionais.

Para 2012, esperamos que o município cumpra efetivamente com papel fiscalizador, punindo as irregularidades que eventualmente ocorram.

MUTIRÃO DE CASTRAÇÕES

Com o patrocínio da WSPA-Sociedade Mundial de Proteção Animal, a AnimaVida realizou dois mutirões de castração na comunidade Vila Rica, no distrito de Pedro do Rio. O primeiro realizou-se em Maio/11, com a castração de 74 animais (entre cães e gatos) e o segundo aconteceu em Outubro/2011, com 40 animais operados. Nas duas ocasiões também foram doados medicamentos aos proprietários que não tinham condições de adquiri-los.

 

DENÚNCIAS DE MAUS TRATOS EM ANIMAIS

Em 2011, a AnimaVida trabalhou em 14 casos de maus tratos em animais, fazendo o levantamento de fatos, provas técnicas e testemunhais. Nossas ações foram divididas em 3 etapas: advertências aos donos dos animais, encaminhamento de alguns casos à Secretaria do Meio Ambiente e, finalmente, o registro em delegacias policiais.

EDUCAÇAO HUMANITÁRIA EM BEM ESTAR ANIMAL

Este programa, desenvolvido pela WSPA-Sociedade Mundial de Proteção Animal, vem sendo introduzido em Petrópolis através de uma parceria com a Coordenadoria Geral de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Educação e a AnimaVida.

Em Março/2010 foi feita a primeira capacitação com diretores de 30 escolas municipais e, em Agosto/2011 a capacitação foi levada à equipe de professores de duas dessas escolas, já com o compromisso de implantar o programa dentro das instituições de ensino.

Em Setembro/2011, foi feita uma outra capacitação de professores, num total de 130 profissionais que passaram todo o dia recebendo informações, técnicas didáticas e material para utilizar em sala de aula.

Em Outubro/2011, foi a vez dos diretores dessas mesmas escolas, que receberam informações sobre o programa de Educação Humanitária em Bem Estar Animal.

Em termos práticos, a AnimaVida realizou um trabalho junto à E.M. Leonardo Boff, localizada no bairro do Contorno. Em Maio/Junho/2011 foi realizado o projeto CONHECER PARA PRESERVAR O TINGUÁ e a partir do segundo semestre realizamos um trabalho focado nos animais, com a leitura e montagem de peças teatrais e discussão de situações reais envolvendo os bichos.

 

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Em comemoração ao aniversário da Rebio Tinguá, a AnimaVida levou para 3 escolas municipais no entorno da reserva o projeto CONHECER PARA PRESERVAR O TINGUÁ. As crianças receberam muitas informações sobre a reserva e sua importância para o estado do  Rio de Janeiro e promoveram manifestações públicas pro-Tinguá nas ruas próximas à reserva. Foi um bom exercício de cidadania e de preocupação com o meio ambiente. As escolas foram: Leonardo Boff (Contorno), Santa Maria Goretti (Bingen) e São João Batista (Duarte da Silveira).

 

 

CAPACITAÇÃO EM BEM ESTAR ANIMAL

Em 2011, recebemos a Certificação em Bem Estar Animal, depois de um curso de 2 anos promovido por Cambridge E-Learning Institute e o Instituto Bioethicus (SP).

CÓDIGO AMBIENTAL DE PETRÓPOLIS

Depois de nomeada membro da comissão responsável pela elaboração do Código Ambiental de Petrópolis, a AnimaVida participou, durante todo o ano de 2011, das reuniões de trabalho, tendo como objetivo maior a inserção de questões envolvendo a fauna no código.

RESERVA BIOLÓGICA DO TINGUÁ (Rebio Tinguá)

A AnimaVida assumiu, em 2011, uma cadeira no Conselho Consultivo dessa reserva federal, com uma área de 26.000 hectares, que abrange 4 municípios fluminenses: Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Petrópolis e Miguel Pereira.

Como conselheira, a AnimaVida participará dos Grupos de Trabalho (GT) de Educação Ambiental e de Projetos, tendo sempre como foco principal a atenção para com a fauna.

MOSAICO DA MATA ATLÃNTICA CENTRAL FLUMINENSE

No final de 2011, a AnimaVida foi eleita para uma cadeira no Conselho Consultivo do Mosaico da Mata Atlântica Central Fluminense, como representante da sociedade civil do Conselho da Rebio Tinguá. O Mosaico foi criado pelo Ministério do Meio Ambiente em 2006 para facilitar a gestão integrada e participativa de dezenas de unidades de conservação, públicas ou privadas, localizadas nas regiões da Serra do Mar e das Baixadas Litorâneas do estado do RJ. O mosaico agrega 29 unidades de conservação (número de Maio/2011) e abrange um total de 250.721 hectares.

Assim como no conselho da rebio Tinguá, no Mosaico a AnimaVida terá como foco principal de trabalho a fauna e seus problemas.

Deixe uma resposta