PUNIÇÕES SEM PRECONCEITOS

Tribuna de Petrópolis – Coluna AnimaVida
19 Jan 2012
PUNIÇÕES SEM PRECONCEITOS
Aproveitando que no próximo domingo haverá, em âmbito nacional (e até internacional, já que Nova York também aderiu ao movimento) uma caminhada em prol de mudanças na legislação que protege animais contra maus tratos, gerando punições mais severas para os autores desses crimes, voltamos a este tema, já abordado em nossa coluna do dia 29 de dezembro.
Voltamos ao assunto para destacar a forma como nossas autoridades lidam com a questão do animal, ou melhor, como elas NÃO lidam com isso. Duas situações idênticas ocorridas, uma em Petrópolis e outra no Rio de Janeiro, nos mostram como a coisa está funcionando.
Em 10 Dez 2011, na Rua Santos Dumont, em Petrópolis, um cão foi deixado trancado dentro de um carro. Quem passava pelo local se revoltou e buscou ajuda da PM que, ao chegar, disse que não poderia quebrar o vidro do carro.  Quebraria, sim, se fosse uma criança que estivesse trancada.
Em 02 Jan 2012, no Botafogo Praia Shopping, no Rio de Janeiro, dois filhotes de cães foram deixados trancados dentro de um carro por cerca de 4 horas. Nesse caso, a PM também foi acionada e o discurso foi o mesmo: se fosse uma criança, o vidro poderia ser quebrado.
Cabem várias perguntas, diante dessas duas situações, mas, hoje, não teremos espaço em nossa coluna para fazê-las. Entretanto, não podemos encerrar, por agora, o assunto sem falar dos resultados dos dois impasses acima. O do Rio de Janeiro, foi esperar que a dona do carro chegasse e, como se nada tivesse acontecido, ter ido embora levando seus animais. Em Petrópolis, o final foi bem mais entusiasmador, pois um pedestre, com o apoio de todos os presentes, quebrou o vidro do carro e retirou o animal. Depois seguiram todos para a Delegacia de Polícia para fazer o registro da ocorrência. Nota 10 para os petropolitanos.

 

Deixe uma resposta